DA IMAGEM E SEMELHANÇA

Dernière mise à jour : avr. 19

por Leno Veras

Da imagem e semelhança Em 1637, aportou em Pernambuco uma comitiva de artistas e cientistas trazida pelo conde Maurício de Nassau para documentar a Nova Holanda, instaurando, desse modo, seu marco representacional. Entre eles estavam os célebres artistas Frans Post e Albert Eckhout, e o astrônomo Georg Marggraf, coautor de Historia Naturalis Brasiliae, primeira obra de caráter científico acerca da natureza brasileira.

O chamado Novo Mundo era um universo desconhecido do ponto de vista dos co- lonizadores europeus como Nassau. Essa complexa amálgama de descobertas foi terra fértil também para o desenvolvimento de representações em que a natureza e a cultura se mesclaram, conformando diversas alegorias da América e distintas simbologias do Brasil mapeadas, antes de tudo, pelo imaginário e pela memória desses viajantes.

Tendo em vista a relação estabelecida entre lembranças cientificas e imaginações artísticas no contexto das missões colonialistas, as representações da natureza e da cultura erigiram-se como uma exuberante narrativa capaz de compor vastos compêndios ilus- trados, nos quais a biodiversidade tropical e a multiplicidade das culturas originárias se confundem entre mitologia e antropologia. Ao exprimir uma conjuntura complexa de experiências em que monstros marinhos coexistem com coordenadas geográficas, estas antigas cartografias da fauna e flora brasi- leiras aproximam-se dos trabalhos contemporâneos de Fosca - artista nascida em alto mar, de ascendência holandesa e origem veneziana, cujas grandes navegações levaram-na ao outro lado do Atlântico, onde a mesma velha natureza tem renovadas suas criaturas.



Leno Veras

Leno Veras è responsável pela Gerência de Pesquisa e Documentação do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM Rio).


Junto à Diretoria Artística de Keyna Eleison e Pablo Lafuente, se soma à transformação que esta nova gestão vem implementando na instituição. Membro do Comitê de Indicação do Prêmio PIPA 2020. Leno Veras é comunicólogo, pesquisador e professor, dedicando-se aos campos curatorial e editorial com foco na abordagem educativa. Desenvolveu projetos que articulam teoria dos meios, sistemas de memória e histórias da arte em organizações internacionais, não governamentais e da sociedade civil, bem como em instituições públicas e privadas de educação e cultura, dentre elas diversas universidades, centros de pesquisa, museus, bibliotecas e arquivos. Atualmente, desenvolve sua tese de doutoramento na Escola de Comunicação da UFRJ e, como pesquisador visitante, no Instituto Warburg na Escola de Estudos Avançados da Universidade de Londres.


23 vues0 commentaire

Posts récents

Voir tout